14/11: Dia Internacional da Educação – O que comemorar em Sergipe?

*por Sonia Meire Azevedo de Jesus

Comemorado pela primeira vez em 1966, o dia 14 de novembro ficou conhecido como o dia internacional da alfabetização. É mais um momento para nos perguntarmos sobre o futuro de um país que ainda possui mais de 14 milhões de jovens e adultos analfabetos e indicadores baixíssimos de aprendizagem de leitura e escrita nos anos iniciais.

Em Sergipe a situação é gritante, os índices de defasagem idade/série são alarmantes e em especial, nos anos finais do ensino fundamental. O que o Estado está fazendo com as nossas crianças e jovens é um crime. A taxa de distorção idade/série é de 46,50% nos anos finais. A média do IDEB nos anos iniciais é de 4,1, enquanto a média nacional é 5 pontos.

Essa média, no entanto, esconde os péssimos indicadores de muitas escolas da rede pública estadual e municipal. Nenhuma escola da rede municipal de Aracaju, por exemplo, conseguiu em 2011 estar acima da média do estado e do país. Agora o Governo Federal lança um novo pacto para a educação na tentativa de diminuir os baixos índices da educação, incentivando cursos de formação continuada para os professores. Mas as crianças necessitam muito mais do que escola para aprender a ler e a escrever, necessitam de condições dignas para estudar.

Aprender a ler e a escrever passa pelo acesso ao teatro, à música, à dança, a alimentação saudável, a ter direito a brincar, a ler e contar estórias, a uma moradia e transporte que acolham as crianças sem colocar suas vidas em risco. Quem são as crianças que tem acesso a esses direitos?

Vamos ocupar os espaços públicos neste dia para repudiar as políticas compensatórias e as que colocam os professores como únicos responsáveis pela garantia da qualidade da educação.

O que o Estado faz é colocar para pais, crianças e jovens, professores individualmente, como verdadeiros responsáveis pela má qualidade da formação. Vamos dizer que o Estado brasileiro é o grande responsável por esta situação. Ele é que tem de estar no Banco dos Réus! Prefeituras, estados e governo federal deveriam ser responsabilizados pelo descaso com as nossas crianças e pela violação dos direitos básicos à vida.

*Sonia Meire Azevedo de Jesus é professora do departamento de Educação da Universidade Federal de Sergipe

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s