Chico Oliveira faz 80 anos – ou Louvando a Quem Merece.

chicoslider

 

“Chico de Oliveria chega aos 80 anos com uma maturidade e uma criatividade na maneira de olhar e entender a conjuntura como poucos sociólogos no Brasil”

 

*por Romero Venancio

Poderíamos falar de diversos ângulos sobre a vida acadêmica e politica do sociólogo Francisco de Oliveira. Estudante e economista, professor de sociologia na USP, membro da SUDENE ao lado de Celso Furtado (seu mestre) jornalista da imprensa alternativa nos anos 70, apoiador do movimento operário do ABC paulista nos anos 70, combatente de primeira hora da ditadura brasileira.

Mas tem uma faceta de Chico de Oliveira que merece destaque na atual quadra histórica das ciências sociais no Brasil. Trata-se de um sociólogo marcado pela perspectiva crítica de se fazer sociologia. Mais do que coletar dados ou se aferrar a empiria, Chico se propõe a pensar a favor e contra a sociologia e seu método.

A favor, por entender que uma ciência social se faz na pesquisa empírica, sem dúvida e que tal empiria arma de elementos concretos e reais qualquer pesquisa de um cientista social… Mas também contra, por entender que uma empiria sem as qualificações necessárias de uma boa teoria, torna-se positivismo cego e refém das lógicas mercantis que tanto atraem os sociólogos. É necessária a “teoria crítica” no arsenal empírico para orientar-lhe a prática. Por isso as intervenções precisas, irônicas e críticas de Chico de Oliveira nas conjunturas históricas.

Destaco aqui os seus dois brilhantes ensaios: “O Ornitorrinco” e “A hegemonia as avessas” para caracterizar esse transformismo das correntes majoritárias do PT e sua forma mostrenga de governar o país desde 2002. No “Ornitorrinco” temos uma verve satírica sem precedentes na sociologia no Brasil. Como bem diz: “É isto que explica recentes convergências pragmáticas entre o PT e o PSDB, o aparente paradoxo de que o governo de Lula realiza o programa de FHC…”.

Não precisa muito para ver como isto se concretizou e ainda tem fôlego de continuidade. No “Hegemonia às avessas”, o sociólogo pernambucano nos faz ver como era necessário um governo de cunho popular como o de Lula para realizar aquilo que o desgastado FHC não tinha condição e realizar em favor do Capital no Brasil. Hegemonia as  avessas por ter sido realizado um programa que o PT passou quase uma década criticando na pseudo social-democracia brasileira no poder de plantão.

Com “sacadas” geniais destas, Chico de Oliveria chega aos 80 anos com uma maturidade e uma criatividade na maneira de olhar e entender a conjuntura como poucos sociólogos no Brasil ou como diz Roberto Schwarz num prefácio ao livro “Crítica da razão dualista O Ornitorrinco” (Boitempo,2003): “O marxismo aguça o senso de realidade de alguns, e embota o de outros. Chico evidentemente pertence com muito brilho ao primeiro grupo”.

*Romero Venâncio é professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s