REVER 6 meses – As 10 publicações mais lidas até aqui

foto: Sebastião Salgado
foto: Sebastião Salgado

No dia em que completa 6 meses de retomada, a revista REVER elenca os textos mais vistos desse período.

*por Equipe REVER

No dia 19 de março de 2014 a REVER completa 6 meses de retomada dos seus trabalhos. Nesse período nos esforçamos em manter a atualização frequente durante todos os dias de semanas, zelando pela publicação de textos de qualidade, com conteúdo crítico e leituras de profundidade.

O marco dessa retomada é o texto “Rir da Ordem no Sarau Debaixo”, publicado em 19 de Setembro de 2013. Trata de um projeto que parte das mesmas concepções e compreensões de atuação: convergir e estimular o pensamento, o conhecimento e a arte, participando da construção de uma cultura crítica, tão dispersa e acanhada em Sergipe. O Sarau Debaixo tem relação direta com o que foi a REVER até aqui e o que pretende ser para frente.

Elencamos os 10 textos mais vistos até aqui. Entre eles artigos opinativos e acadêmicos, entrevistas, matérias, reportagens e crônicas, que mostram a variedade de formatos que envolvem a Revista REVER. Ao final elencamos alguns outros textos de grande destaque.

___________________________________

1º – “Mensaleiros”: Prisão, espetáculo e história – por Romero Venâncio em 13/09/2013

dirceu-genoino
“Não os vejo como vitimas, mas como homens vivendo as consequências do que construíram em termos políticos no primeiro governo Lula e no mais grave: na forma como lutaram para fazer da pequena política a prática política sua e de centenas de militantes petistas que embarcaram nessa”

2º – Aracaju: Vem sem fantasia – por Henrique Maynart em 24/09/2013

super-herois-aposentados7
“Fantasia aqui é o de menos. Uma cidade frágil e madrasta como Aracaju que despeja toda sua cadeia de mobilidade a serviço de um evento privado, com linhas exclusivas e transporte 24 horas em direção à Melício Machado, deixando um vácuo estupendo nas demais linhas da cidade”

3º – Criminalização das opressões: a que estamos sendo levados a servir? – por Aline Passos em 23/01/2014

cela-lotada_
O que realmente significa a criminalização do machista, dx homofóbicx e dx racista? Artigo traz contraponto abolicionista a tema que segue sendo pauta prioritária dos movimentos sociais que militam nessas áreas.

4º – REVER Entrevista: Francisco Carlos Teixeira – por Anike Lamoso, Cleidson Carlos e Irlan Simões em 11/12/2013

1491852_10151896216073250_1459066356_o
Historiador da UFRJ/IUPERJ concedeu longa entrevista exclusiva para a REVER e abriu o verbo: “A Lei da Anistia serviu para dar a continuidade perfeita entre as práticas policiais da Ditadura e as práticas policiais do período da redemocratização”

5º – Catraca Livre: Música alta pra combater a violência de Estado – por Irlan Simões em 26/10/2013

snapic-rotulo-24out2013-0061
Festival organizado pelo Movimento Não Pago reúne cena contra-cultural aracajuana e retoma luta pela Tarifa Zero

6º – A anatomia do Hate Click: por que é necessário parar? – por Irlan Simões em 06/02/2014

rchael-sheherazade-e-joseval-peixoto1
“Clique da indignação” se torna um grande problema ao dar audiência e notabilidade a ideias retrógradas, através da provocação dos próprios críticos. Entenda-o e saiba por quê é preciso parar

7º – Rir da ordem no Sarau de Baixo – por Irlan Simões em 19/07/2013

1292871_657140924303952_117409960_o

8º – A esquerda que a direita gosta – por Alexis Pedrão em 12/03/2014

“Quem faz a distinção entre ‘boas manifestações’ e ‘manifestações de vândalos’ é a burguesia. A esquerda infelizmente aderiu a essa classificação. Cedeu. Capitulou. As organizações políticas chegam a competir entre si quem primeiro se posicionou contra os “Black Blocs”
“Quem faz a distinção entre ‘boas manifestações’ e ‘manifestações de vândalos’ é a burguesia. A esquerda infelizmente aderiu a essa classificação. Cedeu. Capitulou. As organizações políticas chegam a competir entre si quem primeiro se posicionou contra os “Black Blocs”

9º – A “geofotografia” de Fernando Correia – por Irlan Simões em 28/10/2013

Geógrafo de formação, o sergipano Fernando Correia lança site com sua produção fotográfica e explica sua concepção de arte, trabalho e mundo, em entrevista à REVER Ateliê.
Geógrafo de formação, o sergipano Fernando Correia lança site com sua produção fotográfica e explica sua concepção de arte, trabalho e mundo, em entrevista à REVER Ateliê.

10º – Aterramento: Tragédia, farsa e despedida – por Henrique Maynart em 23/10/2013

738026_529865720365880_477197134_o
“A tragédia do aterramento da Coroa do Meio repetindo a farsa da 13 de julho, Oxum vai cobrar com juros o lote que estão a lhe tomar de assalto, sem dó nem sossego nem vazante”

Outros destaques:

‘Tatuagem’: mais uma obra da vanguarda cinematográfica pernambucana – por Romero Venâncio em 13/02/2014

Dodjo, dêxe dessa: Os ‘babas’ sergipanos também interessam à CBF? – por Irlan Simões em 01/11/2013

Não Pago volta às ruas para protestar contra aumento do buzão – por Geilson Gomes em 30/01/2014

Um legado de Marcelo Déda ou Notas miúdas para uma reflexão livre – por Romero Venâncio em 23/12/20123

“Antes de construir uma cidade, verifique se há um mangue embaixo” – por Irlan Simões em 19/11/2013

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s