Distorcendo a imagem e a imaginação com a”Fotografia alquimista”

10285160_626169190813086_5584152986957049046_o

Sergipana Janaína Vasconcelos aposta, em seu projeto “Sobre Mundos”, em novas linguagens para desenvolver o seu ofício/prazer pela fotografia 


*por Irlan Simões

Um dos grandes desafios dos novos tempos de cultura digital tem sido reservado aos profissionais e amantes da fotografia. A renovação constante das tecnologias, o compartilhamento instantâneo de imagens e o volume incontido de material despejado na rede mundial de computadores tem colocado muita gente em sinal de alerta. O que estaria reservada à tal da oitava arte?

Não faltam formulações teóricas que apontem – de forma otimista ou pessimista – que vivemos um tempo de grandes mudanças e quebra de velhos paradigmas. Em Sergipe uma jovem fotógrafa vem apostando de forma ousada numa nova perspectiva para uma paixão que alia ao prazer e ao trabalho. O estilo, batizada pela própria autora de “fotografia alquimista”, nos leva a uma dimensão pouco convencional do ofício de registrar a luz.

A fotógrafa sergipana Janaína Vasconcelos explica, em entrevista à REVER, como concebeu o seu atual trabalho, o “SOBRE MUNDOS”. Lá, imagens totalmente indecifráveis e confusas, recebem tratamentos minuciosos, nos levando a uma infinidade de interpretações e compreensões.  Confira abaixo a ideia.

Janaína Vasconcelos
Janaína Vasconcelos

REVER: Pra abrir os trabalhos: qual é a sua? Formação, interesses e o que tem feito no dia a dia?

Janaína Vasconcelos: Atualmente curso Comunicação Social, habilitação em Audiovisual pela Universidade Federal de Sergipe. Tenho estudado Fotografia e processos alternativos, História da Fotografia e Fotografia como Arte/Fotografia contemporânea/Fotografia expandida, além de estar envolvida  em projetos autorais com Corpo, Dança  e  Fotografia, e  realizar freelancers.


REVER: “Fotógrafa alquimista”, tá lá escrito na descrição de uma das fotos. Peste é isso?

Janaína:
Foi mais um termo lúdico para me referir diretamente ao processo de como eu estou vivenciando e fazendo as imagens para o “Sobre Mundos”, porque além de ser fotógrafa, me encarregar da parte da captura dos momentos, a execução para a formação da imagem só se realiza com experimentações, tanto na captura quanto na edição. Seria esse o caráter “alquimista”.

10403787_626039674159371_1279083931947637608_o

REVER: Você tenta aliar as imagens – meio surreais, fale delas também – com versos de poesia. São suas? Qual é a ideia?

Janaína: Então, as poesia não são minhas. A maioria é de Hilda Hist, por isso que sempre estão entre aspas (no Tumblr eu escrevo os autores), já as legendas das imagens no facebook são minhas. O uso do texto, seja com fragmentos poéticos, seja com legendas ou uma palavra, a descritiva tem a potencialidade de direcionar o olhar, mesmo que subjetivamente. A palavra casada à imagem traduz, produz um significado. Eu acho importante esse direcionamento, completa mais o sentido da poética visual.

No caso de preferir Versos da Hist eu tenho uma ligação afetiva com a obra dela, e sempre a li atribuindo características muito imagéticas, amplamente imagéticas, e sempre que estou editando ou criando imagens as faço entre leituras poéticas. O que me direciona pensar numa sequencia, numa ligação entre o que estou lendo e criando: Novos lugares, acontecimentos, mundos…


REVER: Fale de suas influências, tanto na fotografia, quanto na vida. Seu processo criativo parece longe de ser linear ou restrito à “oitava arte”.

Janaína: Falar de influências pra mim é sempre complicado, porque somos tudo aquilo com o que entramos em contato o tempo todo, tudo que nos afeta e tudo que carregamos em nosso histórico de vida, ou seja: Tanta imensidão! Relacionado à fotografia os conceitos de Flusser sobre a exploração de potencialidades da máquina e “superação do dispositivo técnico” na criação de imagens, Bachelard sobre a descoberta e exploração das poéticas, Deleuze e o conceito de imagem-cristal.

Tenho bebido na fonte também dos desbravadores da arte fotográfica como Etienne-Jules Marey, Man Ray, até fotógrafos e artistas contemporâneos como Evgen Bavcar, Jeff Wall, Eustáquio Neves, Rosângela Rennó… Mas se tratando de fotografia todos os dias encontro novidades e sempre tenho procurado me atualizar e beber, beber, beber… No sentido de referências pra vida “Só a antropofagia nos une!”. É tanta coisa… de Tropicália, poesia marginal,   música jamaicana, enfim… não sei estabelecer limites.

Este slideshow necessita de JavaScript.

REVER: O formato é bem interessante e dialoga fácil com a forma como as pessoas usam a ferramenta que você uliliza, o facebook. A ideia é envolver o público nessa linguagem?

Janaína: O projeto inicialmente existia apenas pra mim. Às vezes eu postava uma ou outra foto no meu facebook, aí decidi expandir e tornar público. Comecei com o Tumblr, mas não sei utilizar a ferramenta muito bem e percebi que mesmo sendo bem mais interessante quanto ao formato e até a diagramação da página, que torna a contemplação do conteúdo mais centrada, as pessoas não tinham tanto acesso. O facebook sempre está mais presente nas rotinas. Criei a página, mas a ideia é que o projeto feche um primeiro ciclo e seja impresso, aí o depois fica ao que ocorrer.

 REVER: No mais, comente seu entendimento da atual cena cultural sergipana: mais ativista, organizada e colaborativa?
Janaína: Meu entendimento, pelo menos por parte da cena que tenho contato é de colaboração, mas a meu ver ainda é uma colaboração muito “entre amigos”. Para uma organicidade mais efetiva há uma necessidade de expansão, tanto das pessoas que fazem, como que de lugares para as coisas acontecerem, mas estamos caminhando pra isso, acredito.

_________________________________________________________________________

CONHEÇA MAIS:
“SOBRE MUNDOS”, por Janaína Vasconcelos


Tumblr:
 http://demasia-ser.tumblr.com/
Facebook: https://www.facebook.com/demasiar.ser.sobremundos/info
Contato: janas.vasconcelos@hotmail.com
________________________________________________________________________

10479093_629640490465956_8088955011422221761_o

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s