2ª Cultura das Quadras movimenta o Marcos Freire II com arte, cidadania e conhecimento

O evento busca dar visibilidade aos artistas da cena cultural sergipana, em especial, aos artistas do movimento hip hop

*por Clara de Noronha
Fotos / Lua Nascimento

Na última sexta-feira, dia 22 de setembro de 2017, rolou a 2ª Cultura das Quadras no bairro Marcos Freire 2. O evento, que a priori estava previsto para acontecer no dia 15, teve que ser remarcado para semana seguinte e foi assim que gerou, desta vez nem a chuva embaçou o rolê.

O evento busca dar visibilidade aos artistas da cena cultural sergipana, em especial, aos artistas do movimento hip hop, que geralmente, não tem muitos espaços para se apresentarem, mas não só isso, ele pretende também agregar a comunidade do bairro nesse espaço, que se propõe ocupar uma das quadras do marcos freire 2,  com cultura, arte e conhecimento.

A 2ª Cultura das Quadras contou com as apresentações de: Flow Minas Crew, A $ede, Felipe Gama, Direito Correto, Daniel e Fernando, Dj DGordo e a performance de Selassiê (pirofagia), além dos cortes de cabelo que foram feitos por Igor Matos, gratuitamente no local, enquanto o evento acontecia.

Após as apresentações da noite, aconteceu também uma Batalha de Rima (Conhecimento/Sangue) que foi parte da programação da cultural, onde o campeão da batalha foi o MC Igor R, cria do Marcos Freire 2 e a premiação do primeiro lugar, contou com um beat da SemProblemaRec, uma tatoo no estúdio Blessed e uma gravação na CefaléiaCorp. O segundo lugar ficou com o freestyleiro DG, representante do Orlando Dantas, zona sul e foi premiado com um beat da SemProblemaRec e um kit da Mr Bong.

O evento foi organizado pelo grupo de rap Direto Correto, com a colaboração de moradores do bairro e outr@s MC’s. A política de autofinanciamento foi feita com a venda de rifas de uma tatuagem no local, para poder ajudar com os custos do som e da tenda.

Se a primeira edição já havia sido pesada, a segunda só confirmou! Até mesmo as luzes dos postes não aguentaram com o baque da ideia d@s rimador@s, que a todo o momento expunham as condições precárias, que inclusive a quadra se encontra. Nessa noite o chão se tornou palco e o microfone uma arma em punho.

Vida longa às ocupações culturais de Sergipe, vida longa a Cultura das Quadras. Até a próxima edição!

*Clara de Noronha é poeta, zineira e integrante do grupo Guerrilheiras.

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s