Terror e miséria num Brasil em transe: sobre a terra de Glauber Rocha

*por Romero Venâncio “Pois a dialética não precisa de distâncias brumosas: está em casa dentro das quatro paredes da prática, e, em pé na soleira do momento, recita as palavras que encerram A Mãe: E nunca se tornará hoje!” (Walter Benjamin. “Ensaios sobre Brecht”) “Terra em transe” de Glauber Rocha faz 50 anos! Esse filme é nossa “má consciência” enquanto Brasil em transe desde o … Continuar lendo Terror e miséria num Brasil em transe: sobre a terra de Glauber Rocha

PEQUENO VOLUME DE POESIAS

Há tanto de inspiração como de elaboração linguística nos versos de Allan Jonnes por Romero Venâncio O poeta Allan Jonnes sabe do verso. Sabe da forma. E trabalha as palavras na visceralidade de sua juventude e de suas dores. Falamos desse “Pequeno volume” publicado em Aracaju no ano da graça de 2016. Uma “seleção” de poemas sem títulos (talvez porque todo esse conjunto de versos … Continuar lendo PEQUENO VOLUME DE POESIAS

Uma certa Billie Holiday em Sergipe

Espetáculo “Billie Holiday, A Canção” conta a história dramática de uma das maiores cantoras de Jazz do mundo *por Romero Venâncio “Durante toda sua infância, fora entregue a si mesma,havia-se sentido abominavelmente rejeitada…” (Sylvia Fol. In: “Billie Holiday”) Começo com uma questão que me persegue: a relação entre o particular (local) e universal em arte. Por que ainda mantém esta dicotomia? O que tem ela de … Continuar lendo Uma certa Billie Holiday em Sergipe

Porque ver Meu Nome é Jacque

“O filme de Angela Zoé vem em boa hora e no olho do furacão trazendo a história de uma pessoa que nos convence de cara e com a força da sua vida e da sua luta” *por Romero Venâncio Sendo direto e claro pra começo de conversa: O documentário “Meu Nome é Jacque” (Angela Zoé, 2016) aborda a diversidade através da história de vida de … Continuar lendo Porque ver Meu Nome é Jacque

Por que a presidenta Dilma erra tanto, chora e erra de novo? Hipóteses sob a inspiração de Chico Xavier

Ela em nada mostrou ser o tão propalado “coração valente”. Ali vi um “coração fraco” ou um “coração desnorteado” *por Romero Venâncio Hipótese um: a presidenta e seus ministros, que falam em público, acreditam piamente no jogo da rede globo e de todo o restante da mídia da casa grande. Será? Por exemplo: reconhecem que a marcha de domingo, dia 15, foi um retumbante sucesso, … Continuar lendo Por que a presidenta Dilma erra tanto, chora e erra de novo? Hipóteses sob a inspiração de Chico Xavier

Afinal, o que são os tucanos no Nordeste?

Nova derrota do PSDB no Nordeste atiçou, mais uma vez, os ânimos de racistas e xenófobos. Talvez ainda falte avaliar a insignificância do partido na região *por Irlan Simões Algumas histórias se reproduzem pelo senso comum como verdades cientificamente comprovadas. Um texto, republicado na REVER no mês de Junho, tratava do estudo de uma antropóloga paulistana que buscava desconstruir a noção de que o povo baiano é preguiçoso, mostrando … Continuar lendo Afinal, o que são os tucanos no Nordeste?

Pós-eleições e preconceito ou do que a carne herda

Pode ser o pobre, o nordestino, o negro, o homossexual, o suposto ignorante, afinal, no Brasil a elite branca da casa grande desconhece o que é “perder” *por Romero Venâncio “O problema político é o problema do controle do ódio e não do amor.E o ódio é uma paixão que desencadeia quase inevitavelmente a questão do inimigo.” Alain Badiou. In: “Elogio ao amor” Era bem … Continuar lendo Pós-eleições e preconceito ou do que a carne herda

DUAS OU TRÊS COISAS QUE GOSTO NA MÚSICA DE BÁRBARA EUGENIA

A música de Bárbara nos remete a situação a situação existencial concreta das novas gerações por Romero Venâncio “O verdadeiro presente retira sua felicidade da imaginação da felicidade do presenteado. Significa escolher, gastar tempo, sair do seu caminho, pensar o outro como sujeito: o contrário do esquecimento.” Th. Adorno. In: “Minima Moralia. A história da música brasileira mais recente tem algumas peculiaridades interessantes: uma delas … Continuar lendo DUAS OU TRÊS COISAS QUE GOSTO NA MÚSICA DE BÁRBARA EUGENIA

Do trágico ou sobre o filme ‘Nenhum lugar para ir’ – Notas

O cinéfilo Romero Venâncio faz uma análise do filme ‘Nenhum lugar para ir’, exibido no primeiro dia da Mostra Encontro com o Cinema Alemão *por Romero Venâncio “Como pensar algo que é sempre mais abrangente do que nossa realidade e nosso pensamento?”                   (Leandro Konder. In: Marx e a morte) Começo lembrando um pequeno ensaio do filósofo … Continuar lendo Do trágico ou sobre o filme ‘Nenhum lugar para ir’ – Notas

SILAS MALAFAIA E A DERROTA PÚBLICA DE UM CRISTIANISMO: NOTAS

Essa “guerra santa” promovida pelo pastor tem claros interesses políticos e econômicos *por Romero Venâncio O Brasil vive um fenômeno impressionante a mais de três décadas: o crescimento de grupos evangélicos pentecostais ou “Neopentecostais” (como querem alguns sociólogos da religião). Crescimento este que não só é no numero de fieis, mas é também no crescimento patrimonial (rádios, TVs, Templos) e no âmbito da política partidária … Continuar lendo SILAS MALAFAIA E A DERROTA PÚBLICA DE UM CRISTIANISMO: NOTAS